Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Radio que tóca o Amor de Deus

Eu poderia falar muito sobre Amor!

Eu Poderia falar muitas coisas sobre o Amor,mas prefiro falar sobre a Aliança,porque não tem amor sem aliança,quando amamos de verdade,sabemos que uma aliança com Deus diz claramente o que é Amor,porque "Deus é Amor",dele não se zomba....Deus conhece nossos corações e nossos pensamentos,mesmo que nosso coração queira nos trair, Deus não permite que isso aconteça! quando estamos embaixo de sua proteção,Amar é algo desconhecido... para cada um de nós,é algo que requer mais do que pensamos, ou falamos ou agimos,Amar é algo do Coração de Deus,que tudo suporta (cor..13)Amar é incondicionalmente lindo para ser tratado de qualquer fórma,Amar o próximo como a ti mesmo é sobretudo nos amar primeiro,para poder amar  alguem
quem sabe um dia..
Porém Amar, exige esforço e sacrificio,exige aliança, não falo do simbolo que é colocado no dedo anelar esquerdo,mas algo mais profundo,algo mais consistente,que se chama renuncia,e Amar a Deus,isso é aliança com Amor ao meu próximo e a mim mesmo,por isso quero deixar aqui algo do profundo,não há nesse mundo uma realidade de Amor em aliança verdadeiro, maior do que o Amor de Deus por cada um de nós!por isso que Amar, vai muito além daquilo que sentimos por uma pessoa!!!ou falamos pela mesma,é algo sobrenatural que você passa a viver o outro lado "alma",Dois pensamentos juntos caminhando lado a lado interligados para um determinado fim que se chama aliança,um Projecto de Deus....Eu desejo a você leitor que possa compreender o valor de uma aliança com Deus, para que venha saber o valor que nasce no coração de Deus,o Amor incondicional....

Corinthios 13

I Coríntios 13:1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.
I Coríntios 13:2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
I Coríntios 13:3 E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
I Coríntios 13:4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
I Coríntios 13:5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
I Coríntios 13:6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
I Coríntios 13:7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
I Coríntios 13:8 O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
I Coríntios 13:9 porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos;
I Coríntios 13:10 mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado.
I Coríntios 13:11 Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
I Coríntios 13:12 Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
I Coríntios 13:13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

Amemos uns aos outros...

"Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus, e todo aquele que ama é nascido de Deus, e conhece a Deus".  I João 4.7

A Lei é essa,um mandamento!!!

"Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; amarás o teu próximo como a ti mesmo".  Levíticos 19.18

Amor

     Falar de amor é uma coisa relativamente fácil. A palavra amor tem uma abrangência muito ampla, por exemplo: amo minha esposa, amo meus filhos, meus pais, meus livros, minha profissão, minha casa ou meu carro e por aí vai...
       Mas na verdade, o amor de que quero falar é o verdadeiro amor cristão.
     Quando Deus ditou a Moisés a Lei, entre centenas de instruções uma se destacou e ficou conhecida como a Lei Régia. Esta se encontra no livro de Levíticos capítulo
19, verso 18, que diz assim:

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Meu grande Amor!!!

estudos

Amor para companheiro
Nosso amor por um parceiro de namoro precisa ser um amor piedoso. Tal amor "não busca o que é seu". Um rapaz cuja preocupação principal no namoro e casamento é o que ele vai conseguir de uma moça não é um bom candidato para o casamento; nem o é a moça que é inteiramente egoísta. Enquanto um homem não reconhece o amor sacrificial de Cristo pela igreja como seu ideal, ele não está preparado para o casamento. Nem uma moça estará pronta para o casamento enquanto não estiver ansiosa para ser um "auxílio" para seu esposo. Se o egoísmo é um problema no namoro, será muito mais no casamento.
Um amor cristão está profundamente preocupado como o bem-estar espiritual de outros. Um homem com tal amor, tendo escolhido uma mulher piedosa para sua companheira, jamais pensaria em violar a virtude dela, não importa quão forte suas paixões possam ser. Ele não a vê como um objeto a ser usado para seu prazer, mas como um tesouro a ser respeitado e protegido. É impensável, também, que uma mulher cristã, exercendo aquele amor que vem de Deus, se orgulhasse de "fazer um homem ficar nervoso" pelo modo como ela se veste ou se comporta. Ainda que ela possa "saber como cuidar-se," ela entende que o "o saber ensoberbece, mas o amor edifica" (1 Coríntios 8:1). O amor que vem de Deus nunca deve desafiar outro a pecar com as palavras, "Se me ama, você fará". Amor piedoso "não se regozija na iniquidade". Qualquer expressão suposta de amor que seja desagradável a Deus, é fraudulenta.

Amor para rivais
Muitos cristãos devotos em outras situações parecem aceitar o velho adágio que "na guerra como no amor tudo vale"."Inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas" parecem ser perfeitamente justificados. Não importa a ocasião, estas são obras da carne e "não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam" (Gálatas 5:19-21). Muitos que não recorreriam a golpes físicos para acertar uma rivalidade usarão de trapaça, engano, duplicidade, astúcia, perfídia, mexerico, calúnia e o que mais possa vir-lhes à cabeça para conseguir seu intento.

"Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca. Pois onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de cousas ruins" (Tiago 3:15-16).

Nenhum homem ou mulher é digno de tal corrupção da alma. É melhor exercer aquela

"sabedoria, porém, lá do alto [que] é, primeiramente pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento" (Tiago 3:17).

Esta sabedoria conquistará qualquer parceiro que valha a pena conquistar.
Graças a Deus, muitos que sucumbem a tal tentação se arrependem e amadurecem depois que seu prêmio é conquistado. O jovem que conquistou sua noiva naquela noite à beira do rio, amadureceu e não recomendará seu ato a outros.
Não, verdadeiramente, a lei do amor piedoso não fica suspensa durante o namoro!

Autor: Sewell Hall

Pensamentos

PENSAMENTOS


Neste momento,
Penso em você e então
Quisera me transformar em vento.


E se assim fosse,
Chegaria agora como brisa fresca
E tocaria leve sua janela.


E se você me escuta e
Me permite entrar,
Em você vou me enroscar
Quase sem o tocar.


Vou roçar nos seus cabelos,
Soprar mansinho no ouvido,
Beijar sua boca macia,
O embalar no meu carinho


Mas eu não sou vento...


Agora sou só pensamento e
Estou pensando em você.


E se abrir sua janela,
Eu estou chegando aí,
Agora...neste momento,
Em pensamento...no vento.

O que é o amor???Onde vai......

O que é o amor curiosidades....

domingo, 1 de maio de 2011

ROMANTICOS GOSPEL

É simplismente Amor


É simplesmente incrível e cativante a maneira como um bebê observa, encantado, sua mãe. Ele não a ama pelo fato de que ela representa seu meio de sustento, sua provisão direta. Seu amor não é baseado em sua dependência. Na verdade, essa noção de um amor condicional está longe de ser entendida por um ser tão pequeno e carente.

Durante seu estado fetal, o bebê apenas recebia e em nada contribuía para seu desenvolvimento. Sua atitude passiva, entretanto, representou seu grande triunfo. Ao sair do ventre de sua mãe, seus olhos não conseguiram distinguir o fascinante mundo em que agora se encontra. Sua noção de espaço era limitada, sua percepção era limitada. Sua vida era limitada.

Para o bebê, sua mãe representa o verdadeiro liame entre dois mundos. Antes, sua casa, agora, sua fonte de sobrevivência e o caminho para sua nova vida. Mas essa é uma percepção que está longe de ser acatada por um ser tão pequeno e ingênuo.

Para a pequena criança, sua mãe é tudo. Seu olhar, seu carinho, sua atenção. Seu mundo gira em torno dela. E não há condições. Sua mãe não precisa fazer nada para ter seu amor. Não precisa enchê-la de presentes ou lhe falar coisas que a agradem. Não precisa lhe dizer o quanto suas bochechas são rosadas ou o quanto sua pele é macia. Não precisa dizer o quanto seu sorriso ainda sem quaisquer dentes a deixa tão feliz.

Um amor que não estabelece condições. Um amor incondicional. É exatamente disso que precisamos. “Mas uma boa dose de condições não faz mal a ninguém”, você deve estar pensando. Um amor educado, simpático, companheiro e que faça exatamente tudo o que desejo é sempre bem vindo. Entenda, entretanto, que quando fazemos do acessório o principal as coisas começam a desandar.

Quando criança, minha família e eu nos mudávamos frequentemente de cidade em função do trabalho de meu pai. Já perdi a conta das amizades que deixei para trás e das inúmeras boas lembranças, que guardo em lugares secretos da minha mente. Em alguns momentos, elas reaparecem, me trazendo boas percepções.

Porém, mas árduo do que fazer novas amizades ou iniciar o ano letivo em uma escola totalmente nova bem no meio do semestre é encaixotar as coisas. E mais difícil do que encaixotar as coisas é tirar essas coisas de dentro das caixas. Como somos capazes de guardar tantos trecos, não é mesmo? Faça um teste: consiga uma caixa bem grande e comece a enchê-la de coisas que não usa mais. Você irá perceber que no final do dia aquela caixa que parecia enorme no início da aventura se revelou ineficaz diante de tanta coisa velha!

Sempre que começávamos a arrumar as coisas na nova casa, meu pai dizia: “Não dêem tanta importância aos detalhes. Vamos nos concentrar nas coisas mais importantes”. Porém a frase que eu mais gostava de ouvir era: “Se concentrem no bolo, não no glacê”. Talvez sem querer, meu pai me ensinou uma grande lição. Quando nos concentramos muito nos detalhes, deixamos de dar valor ao que realmente importa. Quando nossa atenção é desviada para a cobertura, nosso bolo pode queimar!

Você já notou que quando nos aproximamos demais de uma pintura, as imperfeições saltam aos olhos? Nosso olhar vai diretamente para onde está o erro. “Ali está! O pintor deixou de dar um acabamento final nesse pedaço aqui”, dizemos. Quando nos detemos aos detalhes, não apreciamos a beleza da totalidade da obra. Quando nos deixamos ser levados pelos detalhes, perdemos o maravilhoso espetáculo da vida!

Talvez visto de perto todo o relacionamento tenha suas imperfeições. Ou, de longe, todo casamento, namoro, ou amizade sejam perfeitos. Mas o que procuramos não é a perfeição. Procuramos erros! Isso mesmo, sempre estamos procurando erros. Algumas pessoas em graduação menos elevada, mas todos procuramos os erros. Porque isso acontece? Talvez para que possamos nos enganar ao pensar que temos as respostas certas. E é justamente nas respostas certas que residem as condições.

Quando seu amor é condicional, você está assumindo que somente você possui as respostas certas. Quando um relacionamento é pautado em condições, o foco é desviado para o que o outro pode oferecer e não do que eu posso abrir mão. As condições funcionam como verdadeiras bombas-relógio com o contador quebrado. Não se sabe quando ocorrerá a explosão. Mas uma coisa é certa: quem estiver por perto na hora em que ela acontecer não sairá ileso.

Nas exatas palavras de meu pai: “Se concentrem no bolo, não no glacê”. Como seres humanos, somos imperfeitos. E parece que por não aceitarmos isso, tentamos transferir nossas responsabilidades. Por não tentar entender e aceitar as pessoas com seus erros e suas limitações, damos muita atenção aos detalhes e não ao que realmente importa.

Experimente não dar tanta importância aos pequenos erros da pintura. Se você, assim como eu, é uma pessoa detalhista, dê atenção aos pequenos bons detalhes. Um simples sorriso sincero. Um abraço, mesmo que tímido. Um caloroso aperto de mão. Um verdadeiro elogio. E, principalmente, jamais cole seu amor junto ao quadro de sonhos impossíveis. Não estabeleça condições. Como uma inocente criança, esteja disposto a amar. Também esteja disposto a aceitar. E a errar. Erre bastante. Não tenha medo de errar. O erro nos torna humanos e passíveis de entender os outros.

Cultive um amor desinteressado e esteja pronto para colher os frutos de um relacionamento pautado no amor de Deus.

Paulo César Baruk - Quanto Amor

sábado, 30 de abril de 2011

E ai tudo bem??/

ESTILO
Orkutei.com.br

Confira mais figuras de Meninas no www.orkutei.com.br

Fofo

Meu Brilho é assim!!

[b]
Orkutei.com.br

Confira mais figuras de Garotas no www.orkutei.com.br

Uma História de Amor

Lindooo

[b]
Orkutei.com.br

Confira mais figuras de Para Blogs no www.orkutei.com.br

Namoro Evangélico

Pureza e Propósito no Namoro

Querer namorar é natural na vida dos solteiros. Durante os séculos recentes, a prática do namoro para conhecer e escolher um parceiro para o casamento se tornou comum na nossa sociedade. Podemos nos admirar ao notar que a Bíblia fala muito pouco a respeito do namoro, mas precisamos lembrar que o namoro não era a maneira comum de caminhar para o casamento na época bíblica. Os pais freqüentemente arranjaram os casamentos dos filhos, como ainda é o costume em muitas culturas. O amor romântico e as emoções da paixão não eram destacados como são hoje.

Algumas pessoas citam a falta de orientação específica nas Escrituras para justificar a aceitação dos padrões do mundo em relação ao namoro. Até jovens que se dizem cristãos, às vezes, começam a namorar sem pensar nos princípios bíblicos que devem governar o seu comportamento. Despreparados, facilmente caem nas ciladas que o Diabo armou. Alguns cometem imoralidade, enquanto outros namoram de olhos fechados e escolhem mal os seus parceiros. Em ambos os casos, as conseqüências podem ser desastrosas.

Embora a Bíblia não apresente uma lista de regras para o namoro, encontramos nas suas páginas muitos princípios que podemos e devemos seguir para ter namoros puros que caminhem para casamentos bons e felizes.

Fatos e princípios importantes

Trate a sua namorada como se fosse sua irmã. O homem cristão deve tratar "às moças, como a irmãs, com toda a pureza" (1 Timóteo 5:2). Tal atitude certamente se aplica ao namoro. A sua namorada não é um objeto feito para seu prazer, e sim uma pessoa feita à imagem de Deus. Respeite-a.

Evite o egoísmo, pois é pecado (2 Timóteo 3:2). Muitas pessoas namoram e até se casam por motivos egoístas. O amor verdadeiro "não procura os seus interesses" (1 Coríntios 13:5), e sim procura o bem-estar do amado. O amor de Jesus para a igreja não é egoísta. Ele se sacrificou por ela, e pede a mesma coisa do homem em relação à esposa (Efésios 5:25-33). Este amor puro e verdadeiro deve começar no namoro.

Estimule o amor e as boas obras (Hebreus 10:24). Os dois devem crescer no namoro, um ajudando ao outro a realizar seu potencial, especialmente no sentido espiritual. Um namoro que ocupa todo o tempo livre da pessoa, e que dificulta o seu serviço a outros, não ajuda o desenvolvimento pessoal.

Seja criterioso (Tito 2:6). Diz-se que o amor é cego, mas que o casamento abre os olhos! Deve se namorar com os olhos abertos, observando o comportamento e o caráter da outra pessoa. Ele a traiu durante o namoro? Será que se mostrará fiel no casamento? Ela mente aos outros? Será que sempre lhe dirá a verdade? Ele é explosivo e fisicamente violento agora? Acha que vai controlar esses impulsos depois de se casar? Em muitas conversas com casais que enfrentam problemas no casamento, eu pergunto se as atitudes erradas se apresentaram no namoro. Na maioria dos casos, a resposta é sim. Mas, quase sempre, acrescenta-se um fato: "Mas eu não me incomodava com aquilo, porque eu estava apaixonado e queria casar". Precisa-se namorar de olhos abertos!

Evite pecados de sensualidade. A sociedade decadente atual perverte muito o sentido do namoro. Programas de televisão fazem concursos de beijos sensuais. O "Dia dos Namorados" é conhecido por aumentos de vendas de lingerie e propaganda de motéis. Para muitos, a prática sensual de "ficar" vem antes de conhecer o nome da pessoa, e sem nenhum compromisso pessoal. Em muitas escolas, relações sexuais ilícitas são consideradas normais, e até incentivadas pelas conversas entre alunos e professores. A vontade de Deus é outra. Independente das atitudes liberais da sociedade, Deus considera errada qualquer relação sexual fora do casamento. Relações íntimas fazem parte do casamento conforme o plano de Deus, porém "Deus julgará os impuros e adúlteros" (Hebreus 13:4). O servo de Deus precisa fugir da impureza, porque a imoralidade é pecado contra o próprio corpo, que é o santuário do Espírito Santo (1 Coríntios 6:18-20; veja também Gálatas 5:16,19; 1 Coríntios 7:9).

Não é só o ato sexual em si que é pecaminoso. Devemos evitar, também, as atividades e as conversas que alimentam desejos sexuais. Pessoas do mundo podem considerar passeios à praia, noites numa danceteria ou horas a fio agarrados no portão da casa atividades normais para os namorados, mas os cristãos não seguem o padrão sensual do mundo. Algumas perguntas podem ajudar a evitar a imoralidade. O seu nível de contato físico os aproxima de Deus, ou os afasta dele? A sua roupa aumenta o respeito que seu namorado tem por você, ou cria nele desejos que podem ser difíceis de controlar? Se assistirem àquele filme, serão edificados ou enfraquecidos?

Respeite o papel dos pais durante o namoro. Durante o namoro, alguns jovens quase evitam os pais e não freqüentam as casas das famílias, sempre procurando sair para outros lugares. Na Bíblia, observamos que os pais freqüentemente aconselhavam os seus filhos na escolha de seus parceiros. Em alguns casos, os filhos já eram adultos, mas ainda respeitavam a orientação dos pais (veja Gênesis 24:3-4; 28:6; 34:4-6). Os pais normalmente têm muito a oferecer, porque já passaram pelas fases do namoro, do noivado e do casamento. Têm aprendido de outros casais, também, ao longo dos anos. Seria um grave erro não aprender com a sabedoria dos pais. "Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe" (Provérbios 6:20). Muitos casais sofrem hoje porque se mostraram teimosos e não respeitaram os pais no namoro.

Estejam um ao lado do outro no namoro. Entendemos que o namoro tem em vista, como propósito principal, a escolha de um bom parceiro para o casamento. Gênesis

Casais bem-sucedidos

Durante o namoro devem se espelhar em casais bons. Observar casais conhecidos que têm relações especialmente boas ajuda bastante. Agora, considere esses casais à luz das Escrituras. Achamos instruções e exemplos de casais bem-sucedidos.

Áqüila e Priscila trabalharam juntos no ensinamento de Apolo (Atos 18:26) e foram considerados por Paulo cooperadores em Cristo (Romanos 16:3). Uma igreja se reunia na casa deles (Romanos 16:5).

O casal em Provérbios 31 é uma equipe. Este capítulo, a partir do versículo 10, descreve as características da mulher virtuosa. Em parte por causa da dedicação dela, o marido é respeitado na sua cidade. Ela é, acima de tudo, uma serva.

Presbíteros e diáconos e suas mulheres cooperam no serviço a outros. Observamos nas listas de qualificações desses homens (Tito 1:5-9; 1 Timóteo 3:1-13) que eles se preparam para os seus papéis na igreja, em parte, por suas experiências na família. Se não tivessem esposas dedicadas trabalhando em prol da família, esses homens não teriam condições de cumprir papéis especiais na igreja do Senhor. Esta atitude de cooperação, um servindo ao lado do outro, deve começar já no namoro.

Olhando nas direções certas

Muitos namoros levam a casamentos fracassados por um simples motivo. Durante todo o período do namoro, os dois olham nas direções erradas. Olham para si mesmos, procurando satisfazer desejos egoístas. Olham um para o outro, esquecendo do resto do mundo e perdendo oportunidades para servir. Passam horas admirando a beleza física do outro, ou exagerando o contato físico. Embora precise ser realista sobre as suas próprias necessidades, e precise observar o comportamento e as atitudes do outro, o namoro bom mantém seu foco fora do próprio casal. Deve-se olhar para onde?

Deve-se olhar para Deus. Em todas as circunstâncias da vida, devemos olhar em primeiro lugar para Deus. Jesus disse: "Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento" (Mateus 22:37-38). O namoro que tira a sua atenção das coisas de Deus não ajudará o seu crescimento espiritual. Se, de fato, você ama o seu namorado, faça tudo para ajudá-lo chegar ao céu. Não se esqueça de olhar para cima!

Deve-se olhar para os seus próximos. Jesus continuou: "O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo" (Mateus 22:39). Quando um casal de namorados se isola, dedicando quase todo o seu tempo ao namoro, desobedece o mandamento de Jesus. O namoro, como a vida, deve ter como fundamento os princípios de serviço a outros. Não se esqueça de olhar para as pessoas ao seu redor!

Sugestões práticas

Quer um namoro que seja bom para você e para seu namorado? Quer estabelecer a base para um bom casamento que durará a vida toda? Quer, acima de tudo, agradar a Deus no seu namoro e na sua vida? Procure aplicar na prática os seguintes princípios:

Limitem e controlem o contato físico, evitando criar ou alimentar desejos sensuais.

Respeitem um ao outro como irmãos, criados pelo mesmo Pai celeste.

Não se isolem durante o namoro. Sejam abertos para servir a outros.

Dêem prioridade para as coisas espirituais. Participem juntos de estudos e períodos de louvor. Estudem a Bíblia juntos.

Procurem oportunidades para servir.

Cultivem uma relação espiritual e saudável que incentive o crescimento dos dois.

Orem juntos, pedindo que Deus abençoe seu namoro, e mais ainda seu futuro casamento!

-por Dennis Allan